Bem-vindo (a)!

Por onde andei oferece dicas e roteiros de viagens baseados em experiências vividas pela autora. Boa leitura e boa viagem!

sábado, 3 de outubro de 2009

Munique - Pausa para uma Cervejinha!

Sem dúvida alguma, você não pode sair de Munique sem provar suas melhores cervejas!

Faz parte do tour para conhecer a cidade! O tradicional é pedir um mass (o canecão de 1 litro).


Existem várias cervejarias (biergarten) que fabricam sua própria cerveja. Entre elas:

- Hofbräuhaus (ou HB)
A melhor! E quando digo isso, quero dizer que é uma parada obrigatória em Munique!!!
Dizem que é a melhor cervejaria do mundo. É um prédio, de três andares e ambiente fenomenal. Você se sentirá como se estivesse em uma das grandes tendas da Oktoberfest.

Um andar é diferente do outro: o térreo e mais movimentado, ambiente Oktoberfest. O segundo andar é mais estilo restaurante. E o terceiro andar é como o térreo, mas com um grupo que toca e apresenta danças típicas! Qualquer um dos três é ótimo.


video
A Hofbräuhaus está na rua Platzl 9 (região abaixo do Englischer Garten), ofuscando o Hard Rock Café de Munique, que está logo em frente).


- Paulaner
Talvez seja a menos freqüentada por turistas. Tem um estilo de bar-restaurante, os pratos são ótimos, e a cerveja também! Bom ambiente para almoçar. Peça algum dos pratos típicos, como o joelho de porco com chucrute ou as mais variadas salsichas!


A Paulaner está na rua Kapuzinerplatz, 5 (próximo à Marienplatz).


- Augustiner
Diria que a Augustiner, dentre essas três, é a mais freqüentadas por jovens. Tem um estilo de barzinho, é um ambiente bem animado! Sua tenda na Oktoberfest é conhecida como uma das tendas mais simpáticas!

Está na rua Ladsbergerstr, 19.

Prost!

Munique - Conhecendo a cidade (parte 2)

Lugares que você não pode deixar de passar em Munique:

- Virtualienmarkt
Famoso mercado ao ar livre de Munique, que existe desde 1807. Aqui você encontrará os principais pratos típicos, frutas, especiarias, muitas variedades de salsichas e cerveja!
Funciona de segunda a sábado e está sempre cheio! É uma boa pedida para fazer uma pausa no passeio e provar algo novo.


- Odeonplatz
Nessa praça está o monumento Feldherrnhalle (símbolo de honra ao exército da Baviera) e uma igreja (a Theatinerkirche) em estilo barroco. Ali também está uma das entradas para um lindo parque chamado Hofgarten, uma ótima opção para descansar e curtir o ar puro!

Monumento Feldherrnhalle:

Igreja Theatinerkirche:

Parque Hofgarten:


Talvez seja o local de Munique mais relacionado ao nazismo da Segunda Guerra Mundial. Segundo a história, essa praça, que está no centro da cidade, era o local onde estava hasteada a bandeira com o símbolo nazista, que era para servir de “lembrete” de que era “aconselhável” a qualquer cidadão fazer a saudação nazista ao passar por ali.


Porém, nem todos eram a favor das idéias nazistas e, portanto, não queriam ser obrigados a fazer a saudação ao passar pela Odeonplatz. A solução que encontraram foi utilizar uma rua e está logo atrás e contornar a praça. Essa rua chama-se Viscardigasse (atrás do monumento Feldherrnhalle) e é uma pequena ruela de paralelepípedos. Passe por ali e veja que há uma linha de paralelepípedos dourados, que foi feita em homenagem aos cidadãos oponentes à guerra.



- Residenz Museum
Próximo à Odeonplatz, está um palácio, construído entre os séculos 16 e 19, que foi a antiga residência da família Wittelsbach (família de importantes imperadores da Baviera). Desde 1920, é aberto à visitação.
O prédio foi inteiramente destruído na Segunda Guerra Mundial e reconstruído de forma mais fiel possível ao desenho original. Atualmente, sua fachada está em reforma.


Dentro, é possível visitar alguns quartos da casa, há uma exposição de arte egípcia, moedas e riquezas da família Wittelsbach. Aberto de abril a 15 de outubro, das 9h às 18h (última admissão às 17h), e de 16 de outubro a março, das 10h às 17h (última admissão às 16h). Entrada € 6,00.


- Teatro Nacional de Munique
Está ao lado do Residenz Museum. É a sede da Ópera de Munique.
Site oficial: http://www.bayerische.staatsoper.de


- Estádio Allianz Arena
Está ao norte de Munique. Inaugurado em 2005, o estádio é sede dos dois principais times da cidade: o FC Bayern München e o TSV 1860 München. Ambos times jogavam, até então, no Estádio Olímpico de Munique.


Conhecido por sua forma, beleza e iluminação noturna de diferentes cores, o Estádio Allianz Arena foi uma das sedes da Copa do Mundo de 2006. Sua capacidade é de 66 mil espectadores sentados.

O Allianz Arena oferece tours para visitação. Os tours em inglês acontecem diariamente às 13h, com duração de 70 minutos. Ticket a € 10,00. Se não for fazer o tour, você tem a opção de entrar no estádio (que é gratuito) e ter acesso às lojas dos dois times. Dá pra ver o campo e as arquibancadas (sem chegar muito perto!).


Para chegar, pegar o metrô U6 (direção Garching-Forschungszentrum) e descer na estação Fröttmaning.

Site oficial: http://www.allianz-arena.de/

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Munique - Conhecendo a cidade (parte 1)

Lugares que você não pode deixar de passar em Munique:

- Frauenkirche
É a catedral de Munique e o principal símbolo da cidade. Sua construção, em estilo gótico, iniciou-se em 1468. Com a Segunda Guerra Mundial, a catedral foi parcialmente destruída. Sua reconstrução foi feita aos poucos (logo após o término da guerra) e totalmente finalizada em 1994. Em seu interior está o túmulo do imperador da Baviera Ludwig IV.
Túmulo Ludwig IV:

Atualmente, uma das torres está em reforma. Na outra, você pode subir e ver a paisagem de Munique (mas vale mais a pena subir na outra igreja, a Peterskirche). A entrada na igreja é gratuita.

- Peterskirche
É a igreja mais antiga de Munique, datada do século 12. Após sofrer um incêndio, foi totalmente reconstruída e concluída em 1368.
É possível subir em sua torre, conhecida como “Alter Peter”, e a subida vale a pena. São 306 degraus até o topo, mas o sacrifício compensa a vista que se tem da cidade. Dizem que, dependendo da época do ano e do tempo, é possível ver até os Alpes (eu, sinceramente, não tive essa sorte). Mas, mesmo sem Alpes, aqui talvez seja o local onde você terá a melhor vista panorâmica da cidade. Para subir, a entrada custa € 1,50 (€1,00 para estudante). A igreja abre de quinta a terça, das 7h30 às 18h, e a entrada é gratuita.

Vista da torre Alter Peter:


- Marienplatz
É a principal e central praça da cidade. Bastante movimentada, é cercada por importantes e belos prédios.

O mais importante prédio é o Rathaus, impressionante sede da prefeitura de Munique. Sua torre de 85 metros de altura possui 32 bonequinhos que diariamente, às 11h e às 12h, fazem uma apresentação simbolizando as danças e as batalhas históricas de Munique (isso você pode assistir estando na praça em um desses dois horários).

Rathaus:


- Nymphenburg Schloss
Enorme Palácio em estilo barroco que, antigamente, era a residência de verão dos reis da Baviera.

O mais impressionante desse Palácio é a sua fachada de 700 metros (mais longa que a do Palácio de Versailles, na França). O palácio pode ser visitado e está aberto de abril a 15 de outubro, das 9h às 18h, e de 16 de outubro a março, das 10h às 16h. Entrada € 5,00.

video

O palácio também possui um parque, de 800.000 m2, e pode ser visitado gratuitamente. Vale a pena dar uma volta por ali.


- Englischer Garten
É o maior parque urbano de Munique e um dos maiores do mundo, com 3,7 km2. É uma enorme área verde utilizada pelos moradores da cidade para várias atividades esportivas, entre elas caminhada, cavalgada, ciclismo, golfe, futebol e... surfe! Isso mesmo, parece impossível, mas muitos surfam no canal que corta o parque! É também o local onde, no verão, as pessoas vão tomar sol.



quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Munique - Terra da Oktoberfest!

Munique é uma cidade da Alemanha com uma energia e beleza surpreendentes. Depois de Berlim, é a segunda cidade mais popular do país, mas ambas são bem diferentes (cada uma com seu atrativo distinto).

Munique têm aquelas paisagens estilo europeu que, geralmente, temos em nossas mentes antes de chegar no continente. É, também, o ambiente da maior festa da cerveja do mundo, a Oktoberfest (só por isso já dá para ter idéia do “espírito” da cidade!).
Nesta cidade, em especial, você provará os mais variados e inimagináveis tipos de salsicha, muita cerveja, chucrute e excelentes saladas de batata! Mais alemão que isso, impossível!

Como chegar:
O Aeroporto principal, Franz-Josef Strauss Flughfen, está a cerca de 28km da cidade. Possui conexão com o centro da Munique através do trem. Você deve pegar o trem S1 ou S8, que te levará à estação central Hauptbahnhof. Esse trajeto dura aproximadamente 45min e o bilhete custa € 9,00.
Se você já está na Europa e chegará em Munique em trem, sua parada final também será a Estação Hauptbanhof, bem localizada e bem comunicada com outros meios de transporte.

Quando visitar:
Essa é uma das cidades que se pode visitar em qualquer época do ano, pois acredito que deva ter o seu encanto tanto no inverno quanto no verão. Munique está localizada na região sul da Alemanha, região que costuma ser mais ensolarada. Os meses que costumam chover mais são junho e julho.
Se for no inverno, prepare-se para o frio!
Se você vai viajar para lá entre as últimas semanas de setembro e nas primeiras de outubro, encontrará a cidade bem cheia: será época da Oktoberfest!


Onde ficar:
Existem várias opções de preços e hotéis, sendo que os mais baratos estão nas redondezas da estação central Hauptbanhof. Hostels e Bed & Breakfast podem ser encontrados no site www.hostelsclub.com.


Deixo uma dica para quem gosta de algo mais aventureiro:
Camping The Tent: Está bem localizado (15 minutos de Tram da estação central) tanto para chegar ao centro quanto para ir a Oktoberfest. É uma opção boa para quem vai curtir a famosa festa, pois os hotéis ficam caríssimos e lotados. Você pode levar sua própria barraca, dormir em camas que ficam em um galpão grande e comunitário ou, por € 8,00, dormir com alguns cobertores no chão de outro galpão. Os banheiros são comunitários, mas costumam ser limpos. Eles também oferecem café da manhã, por cerca de € 3,00, lanchonete aberta 24h (que inclui venda de cerveja), mapas e dicas. É um ambiente bem jovem, meio hippie. Mais informações no www.the-tent.de


Circulando:
Munique pode ser perfeitamente conhecida a pé (exceto para quem for em algum dos estádios de futebol). Dependendo do local onde você estiver hospedado, você utilizará bastante o Tram (trem de superfície) ou o metrô. Por € 9,00 você compra um bilhete, que pode ser usado em qualquer um desses transportes, válido por 1 dia. Você pode comprar somente um bilhete desse tipo e utilizar o mesmo bilhete para até 5 pessoas.


Informações turísticas:
Os três principais pontos de informação turística são:
- No Aeroporto, aberto de segunda a sexta, das 10h às 21h, sábados e domingos, das 12h às 20h;
- Do lado de fora da estação Hauptbanhof, aberto de segunda a sábado, das 9h às 20h, e domingos, das 10h às 18h;
- Na Marienplatz, aberto de segunda a sexta, das 10h às 20h, sábados das 10h às 16h, fechado aos domingos.

Acompanhe-nos no Twitter!

http://twitter.com/Porondeandei

terça-feira, 29 de setembro de 2009

Pisa e sua famosa Torre!

Terra de Galileu Galilei, Pisa é uma cidade bem pequena e agradável. Os pontos turísticos não são muitos (a cidade atrai basicamente por sua Torre) e pode ser tranquilamente vista em meio dia (1 dia para quem for entrar na igreja e no Camposanto).


Para chegar:
Pisa possui o principal aeroporto da região Toscana, o Aeroporto Galileo Galilei, que está a apenas alguns minutos de trem ou de ônibus (linha 7) da estação central da cidade.
De carro, Pisa está a, aproximadamente, 1h30 de Florença.
IMPORTANTE: Assim como em Florença, apenas moradores de Pisa podem entrar com carro no centro histórico (tudo que está dentro da região contornada pela muralha). Existem câmeras controlando o acesso e entrar ali significa receber uma multa! Turistas devem deixar o carro em estacionamentos fora dessa região.

Onde ficar:
Pisa é um pouco mais barata que Florença. A região mais cara é a que está mais próxima do centro histórico. Abaixo, uma dica de Hotel Bed & Breakfast.
B&B Arcobaleno: Localizado fora do centro histórico (10 minutos a pé da Torre de Pisa), mais bem próximo, é uma opção ótima para quem vai ou não de carro. Os quartos são reformados e o valor inclui café da manhã. Não é dos mais baratos, ainda mais se for na alta temporada (agosto), mas é certeza de bom atendimento e serviços.
Para reservar esse hotel ou buscar outras opções: www.hostelsclub.com

Circulando:
Sem dúvida alguma, a melhor forma de conhecer a cidade é a pé. As distâncias são curtas e os pontos turísticos são concentrados.

O que ver:


- Piazza dei Miracoli
É o coração da cidade de Pisa. Nesta praça estão os seguintes pontos turísticos: a Torre de Pisa, a Duomo, o Battistero e o Camposanto. É, sem dúvida, o primiero lugar que você deve ir quando chegar em Pisa!


- Duomo
Enorme basílica medieval, cuja construção iniciou-se em 1064. A porta de bronze que está de frente para a Torre foi construída por Pisano (o mesmo criador da Torre). Já a porta principal da igreja foi reconstruída, após um incêndio, por Giambologna. Aberta diariamente das 10h às 13h e das 14h às 17h (de novembro a fevereiro), das 10h às 19h30 (em março e outubro), e das 10h às 20h (de abril a setembro). Entrada € 2,00.


- Battistero
Local onde eram realizados os batizados. É uma construção de mármore na qual se pode subir até a cúpula. É famoso por sua excelente acústica.

- Camposanto
Após um incêndio, em 1944, foi inteiramente reconstruído. Trata-se de uma grande área onde estão enterradas as principais personalidades de Pisa.

- Torre de Pisa
A famosa Torre inclinada é o ponto imperdível da cidade. Essa torre, criação do senhor Pisano, desde sempre foi problemática. Sua construção iniciou-se em 1173, e logo começou a inclinar. São cerca de 5 metros de inclinação, que aumentavam em uma proporção de 1cm ao ano. Para que ela não seguisse inclinando, um grande reforma foi feita entre 1990 e 2001.

A Torre de Pisa tem 55,8 metros de altura, e é possível subir até o topo. Aí temos um grande dilema: essa Torre é simplesmente a torre com a entrada mais cara do mundo (é mais cara que a Torre Eiffel!) – o valor é de € 15,00. Na realidade, a vista que se tem não é tão espetacular e, com certeza, não vale o preço. Porém, como ir a Pisa e não entrar no principal ponto turístico da cidade? É... é uma decisão difícil de se tomar. Se você puder, suba. Se você não puder, não fique triste, pois não é nada tão lindo assim.

Vista da Torre:

O que você realmente não pode deixar de fazer quando estiver ali é tirar as famosas fotos fingindo estar segurando a Torre, derrubando-a, enfim, use a imaginação! Outra coisa que é legal é parar por alguns minutos na praça e ficar vendo as dezenas de pessoas fazendo essas poses de “segurar a torre” – é cômico!
A Torre abre diariamente das 10h às 17h (novembro a fevereiro), das 9h às 19h (março e outubro) e das 8h30 às 20h30 (de abril a setembro).


- Piazza dei Cavalieri
Depois da Piazza dei Miracoli, é a praça mais importante da cidade. Era o centro político da Pisa medieval. O prédio mais importante dessa praça é o Palazzo della Carovana, construído por Vasari entre 1562 e 1564.

Ponte di Mezzo
Pisa é cortada pelo Rio Arno. A ponte mais conhecida sobre esse rio é a Ponte di Mezzo, feita em cimento e construída entre 1947 e 1950. Está na região central, próxima à praça Garibaldi. A vista é bem bonita!


Acompanhe as atualizações do Blog Por Onde Andei no Twitter! http://twitter.com/Porondeandei